A madeira utilizada para fabricar paletes e embalagens provém de florestas geridas de forma sustentável. Como consequência do aumento de produtos fabricados em madeira, plantam-se e são geridos um maior número de florestas. Na Europa, as áreas florestais têm crescido todos os anos numa área correspondente ao território de Chipre.

 

A floresta atua como um sumidouro de carbono. À medida que crescem, as árvores absorvem dióxido de carbono da atmosfera – aproximadamente uma tonelada de CO2 por cada metro cúbico de madeira produzida. A madeira continua a armazenar o carbono até ao final da sua vida (eliminação).

As paletes e embalagens de madeira são fabricadas a partir de toros de pequenas dimensões e partes da árvore que não são utilizados noutras indústrias, fazendo parte de um sistema cíclico.

As paletes e embalagens de madeira são fáceis de reparar, podendo também ser recicladas em estilha de madeira ou utilizadas para fabricar outros produtos. Quando a madeira atinge o fim da sua vida útil pode ainda ser utilizada como combustível renovável.

A madeira pode ser utilizada para substituir outros produtos menos “amigos do ambiente”, nomeadamente o plástico. A produção de madeira requer muito menos energia e é de produção mais limpa que, por exemplo, o plástico. O ciclo de carbono da madeira é mais curto que os ciclos de carbono de produtos feitos a partir de petróleo e petroquímicos.

A madeira é o único material amplamente utilizado que tem um efeito positivo na pegada de carbono. Uma palete de madeira absorve e armazena aproximadamente 27 kg de carbono da atmosfera, reduzindo a pegada total de carbono da empresa que estiver a utilizá-la.